Hipnose, Hipnoterapia

A Hipnose é uma Ferramenta Nativa da Mente

A Hipnose é uma Ferramenta Nativa da Mente Clínica Delphos
Compartilhe: Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInShare on TumblrShare on StumbleUponShare on RedditPrint this pageEmail this to someone

Soluções rápidas e eficazes com as técnicas da clínica

A hipnose clínica vem mostrando uma eficácia cada vez maior. Os resultados são percebidos logo nas primeiras sessões. Por se tratar de uma técnica nativa da mente, ela consegue falar a mesma língua. Isso faz toda a diferença para alcançar resultados profundos e abrangentes. Nossa mente é bastante flexível, contudo é preciso acessar essa flexibilidade e utilizar em favor do paciente. Fazer com que a mente possa trabalhar de forma organizada e direcionada. É preciso ter um rumo, é preciso que seja guiada na direção correta. Isso porque nos expomos a inúmeras informações e conteúdos que nem sempre são congruentes, por vezes até mesmo que se opõem. Com isso, a mente pode criar amarras ou rupturas. O processo terapêutico serve para organizar o mundo interno, dando um direcionamento saudável.

Foto demonstrando que se pode incluir conteúdos novos na mente

Incluindo conteúdos novos na mente

Eliminar o que precisa ser eliminado e incluir conteúdos novos. Aprendizagens que são necessárias ao paciente para que o processo de mudança aconteça. Os resultados são realmente profundos e duradouros, isso porque com a hipnoterapia consegue-se chegar a mente inconsciente. Com esse acesso, pode-se fazer um trabalho muito mais preciso e focalizado no problema em si. Para que a mudança ocorra, é preciso ensinar a mente a pensar e agir de forma diferente. Com a hipnose clínica isso se torna mais fácil e eficaz. A mente aceita com mais facilidade os novos conteúdos propostos e torna a mudança natural. Por vezes é tão sutil que a transição do problema para a solução nem sequer é percebida. A mente observa a mudança e a põe em prática no dia a dia.

A cada sessão consegue-se uma profundidade maior, assim como resultados perceptíveis no dia a dia.

Algo de extrema importância na hipnose clínica é que cada paciente é tratado de forma única. Com a colheita inicial de informações ou anamnese sobre sua história de vida e histórico dos problemas e dificuldades, é possível traçar um perfil e criar um raio X da sua identidade mental. Uma colheita que abrange diferentes momentos da vida do paciente, com graus de importância diversos. Com tais informações, é possível obter um diagnóstico, ao mesmo tempo serve para traçar as melhores estratégias terapêuticas. A partir daí, inicia-se com as técnicas da hipnose, visando a solução. A cada sessão consegue-se uma profundidade maior, assim como mudanças perceptíveis no dia a dia. Gradativamente os resultados são consolidados e tendem a se manter, sendo incorporados.

Leia também: Você é estressado? Faça o teste:

As soluções acabam sendo muito mais rápidas que os modelos tradicionais de psicoterapia, pois tem objetivos claros. Ouve-se o pedido do paciente e esta é a seta que indica qual caminho deve ser seguido. O paciente quer ver seu problema resolvido, e quer isso no menor tempo possível. O processo da hipnose clínica vai direto ao ponto, tem objetivos claros e possui técnicas que auxiliam no processo. Na medida em que se cria um estado ideal para a terapia, que é o próprio transe hipnótico, o caminho está aberto. O próximo desafio é a comunicação, ou o que será comunicado para este paciente em especial que fará a diferença. O que sua mente precisa ouvir para iniciar um processo de transformação. Com o conteúdo certo, a mudança é certa.

Mobilização de Recursos Inconscientes

Foto mostrando a inclusão de ferramentas no processo terapêutico

Utilizando ferramentas e recursos.

O trabalho terapêutico possui basicamente dois caminhos possíveis. Utilizar o ferramental que já é do paciente, ou lhe apresentar novas ferramentas. Neste caso, o foco será no que já faz parte da realidade particular de cada indivíduo. A bem da verdade, todos que chegaram a vida adulta possuem um arsenal gigantesco de recursos internos. Aprendidos, vivenciados e armazenados no decorrer da vida. Contudo, nem sempre dá-se conta de que tais ferramentas estão à disposição. É como se você tivesse um programa de computador, como o Photoshop por exemplo. Mas, não sabe utilizar muitos dos recursos que ele possui. Você usa o básico, o que é mais intuitivo, o que aprendeu por conta própria. Você até sabe que ele pode fazer muito mais, todavia não tem ideia de como.

A Hipnoterapia é a possibilidade de trazer à tona ferramentas mentais próprias com a ajuda da hipnose.

Ao contrário do programa de computador, onde as ferramentas não foram criadas por você, os recursos mentais, estes sim foram desenvolvidos internamente. Mas isso não o impede de esquecer que eles existem, não se dar conta, ou mesmo não achar que tais ferramentas serviriam para uma situação nova. Se você se decidir por fazer um curso de Photoshop, certamente ficará surpreendido com as possibilidades. O mesmo acontece no trabalho terapêutico com a hipnose clínica. É uma forma de acessar os recursos inconscientes, que em algum momento foram armazenados e podem ser trazidos à tona.  São ferramentas do passado, servindo para resolver problemas do presente. A hipnose clínica alcança esse nível com muita facilidade, pois a comunicação é estabelecida em nível inconsciente.

Uma razão a mais para ter uma boa noite de sono – com Jeff Iliff

Com a hipnose clínica esse acesso é natural, pois oferece a possibilidade do paciente conectar-se na mesma frequência de pensamentos e sentimentos do passado.

Muitos dos problemas que vivenciamos no presente são repetições com roupagens diferentes do passado. A questão é que nem sempre nos damos conta disso. E mesmo que por vezes você perceba a repetição, nem sempre consegue evitar, ou superar com facilidade. Como o fim de um relacionamento, por exemplo. Se já passou por isso no passado, em teoria, deveria ser fácil lidar com a perda atual. Mas todos que passaram ou passam por isso sabem que não é tão simples assim. É que invariavelmente mudamos a frequência dos pensamentos, nos lançamos à novas experiências, como se elas não tivessem lastro algum. Estamos sempre muito confiantes, “desta vez será diferente”, pensamos. E é claro, você pode estar certo. E que bom quando se está certo. Contudo, há momentos em que nos frustramos. E quando a tempestade passa, é que conseguimos perceber o que não víamos. “Estava o tempo todo bem debaixo do meu nariz e não percebi”, é o que por vezes dizemos. E estava mesmo.

Foto demonstrando que podemos superar porque somos capazes

Superar porque somos capazes

Não vemos porque não temos o hábito de olhar para dentro de nós, em busca de referências. Sempre mais voltados para o externo, sempre com a sensação de impotência. Aquilo que percebemos só depois do pior ter passado estava sempre lá. Apenas não vimos no momento necessário. E não é porque a mente inconsciente é assim tão inacessível. É porque esquecemos do que sabemos, esquecemos do que somos capazes, esquecemos dos momentos que fomos fortes, que superamos dificuldades. Como as ferramentas são armazenadas de forma natural e não percebida, o acesso se torna difícil. Não sabemos como chegar. Já com a hipnose clínica esse acesso é natural, pois oferece a possibilidade do paciente conectar-se na mesma frequência de pensamentos e sentimentos do passado. Feito isso pode-se trazer de volta, um retorno investido dos recursos necessários para superar o que lhe aflige no presente.

Leia também: Hipnose no combate à obesidade

A Mudança é Contagiosa

Há hábitos tão arraigados que mais parecem carvalhos de cem anos. Suas raízes chegam a lugares impensáveis. Tão profundas que perdemos a noção do espaço que tais raízes ocupam. São os hábitos que dão sustentação às nossas crenças. E aqui, falaremos das crenças limitantes. Aquelas que nos fazem mal, nos paralisam. Aquelas que repetem a você incessantes: “tu não podes”; “não és capaz”; “não és bom o suficiente”; “não tens conhecimento para isso”; “és muito fraco”; “não tens corpo de atleta”; “tu não tens boa memória”; “tu és um idiota”; “não és competente”; “não aprenderás nunca”… As crenças limitantes são sorrateiras, ardilosas, se infiltram sutilmente e ocupam grandes espaços do inconsciente. Por vezes sem sua permissão, contudo, há aquelas que simplesmente aceitamos. De inicio não percebemos o mal que causará, é como um lobo em pele de cordeiro.

Ressignifique as crenças limitantes e construa novos caminhos com a Hipnose clínica

As crenças limitantes normalmente são muito bem estruturadas. São repetições que se ouvem em diferentes momentos da vida. Ditas por pessoas importantes, nossos pais, nossos professores, amigos, religiosos. E ditas por tais pessoas, aceita-se como verdade. São cultivadas, como um mendigo “cuida” de suas feridas (para não cicatrizar), pois é nelas que se baseia seu pedido, é delas que tira seu sustento. A crença limitante é uma ferida aberta, que camuflamos com faixas sem tratá-la. E porque não vemos, achamos que ela não existe, ou que ela não nos fará mal. Mesmo que as vezes doa, você acha que é normal, que é assim mesmo. Acha que precisa passar por isso. Não! Você não precisa se sujeitar a crenças que te engessam, que te tornam pequeno, fraco, incapaz. Ressignificar uma crença limitante é o primeiro passo para mudá-la.

A hipnose clínica age, mesmo quando você não percebe a ferida, mesmo quando já se esqueceu dela.

Um dos princípios da hipnoterapia ericksoniana é que a mudança deve ser conseguida em algum nível. Mesmo que seja minúscula, na medida em que ela existe, gradativamente começa a se espalhar. É como um vírus do bem, que se instala e inicia o contagio dos espaços ao seu redor. Aos poucos a chaga começa a cicatrizar, sem por vezes tornar-se consciente. A hipnose clínica age, mesmo quando você não percebe a ferida, mesmo quando já se esqueceu dela. Mesmo quando a dor se tornou sua fiel companheira, e você trata como a um bichinho de estimação. As crenças limitantes tem esse poder de camaleão. Se camuflam tão bem, que o hospedeiro acha fazer parte da sua personalidade, acha que é sua por natureza. Tamanha sutileza precisa ser combatida com a mesma estratégia. A hipnose clínica é esse conjunto de estratégias mentais, que possibilitam esse combate.

Leia também: O medo de falar em público e como a hipnose pode ajudar

Foto demonstrando que é possível criar crenças que abram possibilidades

Criando crenças que abram novas possibilidades

Na medida em que se chega ao mesmo nível de consciência em que a crença foi criada, com a hipnoterapia teremos a possibilidade de reverter o processo ou mesmo estabelecer novas crenças, agora expansivas. É como mudar algo em um programa de computador, você precisa conhecer a linguagem de programação. Usar os mesmos padrões, os mesmos códigos, a mesma fonte em que o programa original foi criado. Seguindo essa linguagem poderá adaptar o programa às suas necessidades. O objetivo é criar crenças que abram portas, que ofereçam possibilidades, que instigam autoconfiança, segurança em si mesmo. E não são necessárias mudanças drásticas, antes sim sutis. Com a hipnose, pequenas mudanças trazem grandes possibilidades, porque uma vez que sejam instauradas no lugar certo da mente, elas ganham vida e se desenvolvem naturalmente.

Odair J. Comin

Psicólogo Clínico, Hipnoterapeuta e Escritor.

Assine o Canal da Pantrus e Clínica Delphos no YouTube

You Might Also Like