Imprensa

Confissões de Homem

Confissões homem
Compartilhe: Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInShare on TumblrShare on StumbleUponShare on RedditPrint this pageEmail this to someone

Entrevista com Dr. Odair Comin | Por Bruno Acioli

Chamada de ‘coisa de mulher’, a visita de homens às clínicas psicológicas é cada vez mais comum. Mas o que tanto aflige os machos?

Homem não chora, nem por dor, nem por amor, já dizia a letra da música. Mais além, macho de verdade, não fica deprimido, tampouco pede ajuda quando bate uma leve tristeza. Tudo isso seria muito bom se fosse verdade, mas às vezes, a chamada fortaleza masculina que é o coração de um homem é bombardeada por emoções negativas que colocariam até Stallone Cobra no colo da mamãe. “Os homens tinham muita dificuldade em expor seu mundo interno por medo de abalar a masculinidade. Hoje, esse tabu vem diminuindo aos pouco, como uma forma de mostrar que externalizar seus problemas gera a possibilidade de fortalecer os pontos fracos e proporcionar escolhas saudáveis e um viver mais pleno”, explica o psicólogo especialista em hipnose Odair J. Comin, autor do livro “Mestre das Emoções”.

Veja também: Hipnose Clínica: o crowdsourcing mental

É claro que não existe uma sala separada para os chorões se abraçarem dentro de uma clínica de psicologia, mas o tratamento para problemas masculinos é abrangente: vai desde ansiedade e estresse a depressão e síndrome do pânico. Ejaculação precoce também está entre os destaques da procura por ajuda. “O trabalho me consumia tanto que não tinha mais reações positivas a nada. Tudo me deprimia. Eu não comia e não tinha vontade de sair”, comenta o empresário Eduardo Amaral, de 33 anos, que só consegui sair desse quadro com ajuda da família. “A gente não percebe o tamanho do buraco que entra. Só quem está de fora que é capaz de ver. E esse apoio é essencial”, desabafa.

Odair explica que o tratamento para livrar o homem de um problema emocional, sexual ou profissional começa por um mapeamento do indivíduo, sua rotina e as questões que deverão ser trabalhadas dentro do problema. “Logo na primeira sessão, buscamos conhecer o paciente. Saber o que está acontecendo. A partir daí, iniciamos as estratégias de mudanças que, em alguns casos, também utilizamos a hipnose clínica”, pontua o psicólogo, que aprofunda a explicação ao mencionar que fobias em geral, transtornos de humor, do sono e ansiedade são as mais tratadas em seu consultório.

Vire macho, rapá!

Até na hora de sofrer, o homem é diferente da mulher. De acordo com Comin, o mundo feminino projeta-se para uma autonomia cada vez maior, tanto profissionalmente como emocionalmente, o que assusta os cuecas de plantão. “A mulher amadurece e distancia-se do padrão que há anos é esperado pelo homem. Com isso, a dificuldade de lidar também aumenta. E como os caras são mais preocupados com desempenho, seja sexual ou no trabalho, qualquer crítica desmorona sua autoestima”, comenta. Isso demonstra a insegurança referente a carreira e relacionamento presente nas rodas semanais de cerveja e charuto.

Veja também: Hipnose Clínica e a Terapia Estratégica

Entretanto, o tratamento propõe uma visão bilateral desses fatos. Afinal, mesmo com essa amargura que aflige um a cada cinco homens, a capacidade de superar é também totalmente masculina. “A mulher está mais independente, mas continua querendo ser cuidada e, principalmente, amada. Ela quer ser importante e reconhecida. Logo, o homem precisa se esforçar, superar seus medos, reconhecer suas capacidades e vencer seus problemas. Assim, resolverá uma questão pessoal e salvará seu relacionamento”, alerta Odair J.

O fundo do poço (contém molas)

É possível identificar os sinais de que uma depressão iminente vem por aí e, quem sabe, evitar problemas maiores, como prejuízos no trabalho e no relacionamento. Os mais comuns são:

  • Visão negativa de si, do outro e do mundo
  • Apatia
  • Desmotivação e falta de gosto pela vida

O importante também é não tomar nenhuma atitude impulsiva, segundo orientações do psicólogo. Se não conseguir superar o problema por si só, buscar ajuda. A solução pode ser mais simples e rápida do que parece, sendo essencial a confiança no profissional que fará o acompanhamento, estar motivado a melhorar e engajado.

Fonte: Portal AreaH.

Assine o Canal da Pantrus e Clínica Delphos no YouTube

You Might Also Like