HipnoCiência, Hipnoterapia

Hipnose: um diamante em lapidação

Hipnose, um diamante
Compartilhe: Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInShare on TumblrShare on StumbleUponShare on RedditPrint this pageEmail this to someone

Desde os primórdios da humanidade, a hipnose vem sendo utilizada em algum tipo de cura ou alívio do sofrimento. Entretanto, com poucas explicações, e muitas vezes vista como algo paranormal ou atribuída a alguma divindade. Via-se os resultados, mas não se sabia porque, nem como funcionava; assim como via-se o sol nascer todos os dias, mas não se sabia exatamente como isso acontecia.

Na medida em que as civilizações se aprimoraram, o homem utiliza suas capacidades mentais cada vez mais, nisso incluem-se os conhecimentos sobre hipnose.

Diamante em Lapidação

Através dos tempos, a hipnose vem sendo lapidada tal qual um diamante. Na medida em que as civilizações se aprimoraram, o homem utiliza suas capacidades mentais cada vez mais, nisso incluem-se os conhecimentos sobre hipnose. Desde os povos mesopotâmicos, egípcios, gregos e depois os modernos como, alemães, franceses, ingleses e americanos, a hipnose manteve-se em constante evolução. E chega ao século 20, com status de ciência, com dados empíricos cada vez mais surpreendentes.

Veja também: Hipnose no combate à obesidade

na hipnoterapia, o profissional usará estes estados que são induzidos, ou por vezes auto-induzidos, para a solução de dificuldades específicas.

A hipnose são fenômenos da mente humana, acontecem a todo o momento em nosso cotidiano. Na maioria das vezes, não é vista como tal, entretanto, com maior ou menor consciência, ela está presente. Lembrar com nitidez de algum acontecimento do passado; imaginar como será a vida no futuro; não encontrar a chave da porta que está bem na sua frente; não ouvir alguém lhe chamar quando está trabalhando no computador ou assistindo televisão. Estes, entre outros, são fenômenos hipnóticos naturais, cotidianos. São estados involuntários sem controle consciente, que por algum motivo somos transportados. A diferença é que na hipnoterapia, o profissional usará estes estados que são induzidos, ou por vezes auto-induzidos, para a solução de dificuldades específicas.

Todos podem provocar ansiedade e dor agora, no presente, mesmo que ainda não tenham acontecido; um sofrimento antecipado.

Veja também: Hipnose Clínica e a Evolução Exponencial da Mente

Nossos problemas são atemporais, ou seja, não importa se aconteceram há 30 anos, se não foram resolvidos, o sentimento que eles carregam é como se tivesse acontecido há um dia atrás. Sofremos da mesma forma, problemas estes, chamados de traumas. Além disso, não importa se o problema está no futuro, uma notícia que chegará daqui há um mês, uma entrevista de emprego na próxima semana, o resultado de um exame médico que sairá amanhã. Todos podem provocar ansiedade e dor agora, no presente, mesmo que ainda não tenham acontecido; um sofrimento antecipado. Por isso, a hipnose trabalha de forma atemporal, “jogando” com a mente, em termos de presente, passado e futuro. Utilizando-se dos diferentes fenômenos hipnóticos, o trabalho terapêutico, usará as diferentes técnicas para resolver tais conflitos.

Assine o Canal da Pantrus e Clínica Delphos no YouTube

You Might Also Like