HipnoCiência

Hipnose e distúrbios intestinais

Compartilhe: Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInShare on TumblrShare on StumbleUponShare on RedditPrint this pageEmail this to someone

A terapia por meio da hipnose parece ser um tratamento efetivo para um distúrbio intestinal comum conhecido como síndrome do cólon irritável (SCI), sugeriu um estudo recente.

Essa síndrome afeta mais mulheres do que homens e se caracteriza por um conjunto de sintomas que incluem constipação, diarreia, dor e inchaço abdominal. A causa do distúrbio, porém, ainda é desconhecida.

Os resultados de estudos anteriores já indicavam que a hipnoterapia era efetiva para combater o problema e, por esse motivo, o Serviço Nacional de Saúde da Grã-Bretanha criou a primeira unidade de tratamento, formada por uma equipe de seis profissionais. O trabalho atual foi realizado para avaliar a efetividade da terapia entre os primeiros 250 pacientes da unidade.

Hipnoterapia é um tratamento efetivo

“Esse estudo demonstrou claramente que a hipnoterapia continua sendo um tratamento extremamente efetivo para a síndrome do cólon irritável e prova uma relação de custo/benefício maior que a proporcionada pelo uso de drogas novas, que chegam ao mercado com preços elevados”, afirmou a equipe de Wendy M. Gonsalkorale, do Hospital Universitário do Sul de Manchester (Grã-Bretanha).

Os voluntários da pesquisa foram submetidos a 12 sessões de hipnoterapia durante três meses. Os cientistas solicitaram aos participantes que usassem uma fita cassete para praticar a técnica em casa, entre as sessões.

Após o tratamento, os pacientes informaram melhora do problema de um modo geral e também a melhora de fatores específicos, como gravidade e frequência da dor, inchaço abdominal, insatisfação com os hábitos intestinais e transtornos cotidianos provocados pela SCI, indicou o estudo.

Mais de três quartos (78%) dos voluntários apresentaram melhora dos hábitos intestinais, da frequência de evacuação e da consistência das fezes, após a hipnoterapia, afirmaram os pesquisadores em artigo publicado no American Journal of Gastroenterology. Os demais participantes não tiveram alteração ou apresentaram uma pequena piora.

Melhorando outros sintomas

Outros sintomas percebidos pelos pacientes e não-relacionados ao cólon, como letargia, dores no corpo e nas costas, também diminuíram após o tratamento, indicou o trabalho. A terapia também foi relacionada à melhora da qualidade de vida dos pacientes – item que incluiu o bem estar físico e psíquico – e à redução da ansiedade e da depressão.

De acordo com a pesquisa, o tratamento pareceu ser mais efetivo entre as mulheres que entre os pacientes do sexo masculino.

No início do estudo, as mulheres classificaram os sintomas da SCI e os não-relacionados ao cólon como mais graves que os homens. Elas também apresentaram queixas de inchaço abdominal mais intenso, indicou o trabalho. Após a hipnoterapia, as pacientes atribuíram a esses sintomas intensidade menor que os homens.

A diferença de classificação pode ser decorrente do fato de os homens com diarreia terem apresentado uma melhora inferior a das mulheres, principalmente em relação à interferência da SCI no cotidiano e à insatisfação com os hábitos intestinais, informaram os pesquisadores.

Por exemplo, esses pacientes relataram que tiveram, em média, 28 evacuações por semana, após a hipnoterapia. Já as mulheres registraram uma média de 21 evacuações semanais. Apenas 54% dos homens disseram que seus hábitos intestinais melhoraram, enquanto a mesma afirmação foi feita por 82% das mulheres.

Com base nesses resultados, os pesquisadores concluem que a hipnoterapia “pode ser menos útil para os homens com hábito intestinal predominante de diarreia”.

Fonte: The American Journal of Gastroenterology
Yahoo/Reuters

You Might Also Like